terça-feira, 23 de setembro de 2014

You are beautiful

É muito provável que já tenhas reparado em diversos artigos que falam sobre o teu biótipo corporal, em revistas femininas.   

Eu estou a falar sobre os artigos - "útil", como eles se auto descrevem - que comparam o corpo das mulheres com maçãs e pêras, e depois sugerem o que deves ou não usar, com base na fruta ou outro objecto inanimado que os nossos corpos se assemelham. Coisas do género: "Se tu és uma pêra, não deves usar saias lápis. Se és tipo uma ``tábua``, usa sutiãs push-up. Se és uma maçã, não uses calções. O pior mesmo são as dicas que sugerem que caso tu não vistas o tamanho 32-34, basicamente, tens de  cobrir todo o teu corpo.

Afinal qual é o objectivo destes artigos além de quererem que nos sintamos inferiores? Eles fazem-nos sentir inúteis, colocam-nos rótulos prejudiciais, eles aglutinam os corpos das mulheres numa série de categorias, que prescrevem regras rígidas para vestir e fazer com que todos, não importa a forma que eles tenham se sintam estranhos sobre o tamanho que vestem.

Foi uma produção fotográfica de fatos de banho de uma determinada revista que encorajou a minha antipatia final pelas dicas dadas aos diferentes tipos de corpo. Basicamente, sugeriu que qualquer mulher mais cheiinha renuncie ao biquíni e opte por uma só peça no seu lugar. Em vez de usar modelos, eles usaram "mulheres reais" que encontraram na praia. E cruelmente, levaram uma mulher sorridente, feliz, magra num top cai-cai, afirmando que ela não deveria usar esse estilo de biquíni, porque ela tinha uma figura do género ``tábua``, em vez disso, deveria usar um push-up. "FIXA!" proclamavam orgulhosamente, removendo a barra preta de seu rosto no "depois" da foto. O que diabos precisava de ser "fixo"? O que é tão ofensivo sobre os seios pequenos? Por que não deve ela estar orgulhosa do corpo que tem e usar aquele biquíni cai-cai?

Todos os artigos sobre os diferentes tipos de corpo são uma forma de nos fazer sentir mal e tentar levar a que compremos o que a revista está a vender. Eu até percebo que para algumas pessoas, esses artigos possam ser úteis, mas a  sua mensagem é restritiva. Nenhuma revista pode prever como de facto tu ficarás dentro de uma peça de roupa, para além de que tem muito a ver com a forma como nos sentimos com ela. E não existe tabela de medidas que possa avaliar isso.

Para mim, este tipo de artigos, é uma forma de, objectivar as mulheres, reduzindo-as a objectos inanimados. Nós somos muito mais do que os nossos corpos e formas, e certamente, seremos mais do que apenas frutas, ou tábuas, ou ampulhetas ou quaisquer outros itens que podemos encontrar num estudo do século 19. (A sério, onde é que eles vão buscar essas coisas?)

Então aqui está o meu guia do corpo final:

Se tu estás em forma como pessoa, parabéns, tu tens um corpo!





Ninguém deveria dizer-nos como nos devemos vestir. Ninguém deveria definir-nos pela nossa "forma." Ninguém deveria policiar os nossos corpos, e isto inclui, determinados artigos que nos dizem o que se pode e não se pode colocar sobre eles.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...